Twitter Facebook Instagram
Para acessar sua área PDO, insira os campos abaixo.

Após pedido da Facesp, comércio não essencial poderá reabrir

Notícias 16 de abril de 2021

Após pedido da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), o comércio “não essencial" poderá reabrir. O vice-governador Rodrigo Garcia anunciou nesta sexta-feira (16) a atualização do Plano São Paulo, com início da fase de transição para todo Estado até o dia 2 de maio. Nas últimas semanas, os indicadores da saúde apresentaram uma redução progressiva, com queda nas internações e diminuição da ocupação hospitalar, o que permitiu o avanço para retomada gradativa e consciente das atividades não essenciais. 

Na terça-feira (13/04), a Facesp encaminhou ofício ao Governo de São Paulo em que pedia a flexibilização para que o comércio voltasse a abrir as portas. “É um avanço para o setor que está extremamente fragilizado e com dificuldades”, ressalta Alfredo Cotait Neto, presidente da Facesp e da Associção Comercial do Estado de São Paulo (ACSP).

Por outro lado, a Facesp aponta que a abertura do comércio com horário reduzido e restrição de 25% de sua capacidade não seja a melhor medida para evitar as aglomerações. “A experiência desse mais de um ano de funcionamento ininterrupto do comércio considerado essencial e os períodos em que foi permitida a abertura do “não essencial” demonstrou que a atividade comercial não tem responsabilidade pelo aumento da contaminação", pontua Cotait.

Leia mais sobre o pedido da Facesp e acesse a íntegra do ofício: https://bit.ly/3uMkH5h 

As medidas mais rígidas de restrição da fase vermelha, o avanço na vacinação e a expansão de leitos hospitalares resultaram em decréscimo de 1,4% ao dia em novas internações e de 0,8% ao dia em UTIs para pacientes moderados e graves com coronavírus. 

“A fase de transição é necessária para que possamos dar passos seguros adiante sem o risco de retroceder. O apoio da população nesse novo momento da pandemia continua sendo fundamental. Não é hora de baixarmos a guarda”, afirmou Rodrigo Garcia. 

A nova fase inicia no próximo domingo (18) e está dividida em dois períodos. Na primeira semana, de 18 a 23 de abril, a flexibilização acontecerá para o setor do comércio, incluindo lojas de shopping, com funcionamento permitido das 11h às 19h. Nesse período, também será permitida a realização de cerimônias e cultos religiosos com restrições, desde que seguidos rigorosamente todos os protocolos de higiene e distanciamento social. 

No período de 24 a 30 de abril, além dos estabelecimentos comerciais, poderão voltar a funcionar as atividades ligadas ao setor de serviços como restaurantes e similares (lanchonetes, casas de sucos, bares com função de restaurante), salões de beleza e barbearias, atividades culturais, parques, clubes e academias. O horário de funcionamento será das 11h às 19h, com exceção das academias, que poderão abrir das 7h às 11h e das 15h às 19h. 

A fim de evitar aglomerações, a capacidade de ocupação permitida nos estabelecimentos na fase de transição será de 25%. 

O toque de recolher continua em vigência em todo o Estado, das 20h às 5h, assim como a orientação para o teletrabalho para as atividades administrativas não essenciais e escalonamento de horário na entrada e saída das atividades do comércio, serviços e indústrias.

 

 

 Fonte: Governo de São Paulo

Parceiros

CACB SCPC Certisign CRDC ACCREDITO